Comunicamos a todos que os certificados estão em processo de finalização e serão enviados, nos próximos dias, para o e-mail dos participantes cadastrado no ato da inscrição.

 

Hoje dia 19 de Setembro de 2017 às 17h e 30m será transmitido ao vivo a palestra

Caminhos Emergentes da autoria no Ensinar e no Aprender

Tel Amiel (UNICAMP) 

 

 

Responda o formulário e avalie o ESUD.

 

Carta à Comunidade Científica

Em Reunião Extraordinária do Fórum Nacional de Coordenadores da Universidade Aberta do Brasil - UAB, realizada nos dias 16 e 17 de outubro de 2017, na Universidade Federal do Rio Grande - FURG - a exemplo das demais instituições públicas de diversos campos de atuação, que já se manifestaram, e, inspirados na fala desses atores sociais, nós, representantes das instituições públicas, pertencentes ao sistema UAB, posicionamo-nos da forma que se segue:

Que sociedade estamos construindo? A resposta a essa indagação é muito emblemática, pois, o atual contexto social, político e jurídico nos inclina a acreditar que tempos difíceis tendem a se adensar, se não houver uma reação sistemática dos segmentos socialmente organizados, com vistas a sua reversão

Recentemente, fomos surpreendidos com prisões arbitrárias de servidores públicos da Universidade Federal de Santa Catarina, que culminaram com o suicídio do seu Reitor afastado, Professor de Direito Luiz Carlos Cancellier. Em sua última mensagem, esse Reitor afirmou: “Minha morte foi decretada no dia do meu afastamento da universidade". Devemos compreender essa mensagem como um alerta à ameaça que a sociedade tem enfrentado nos tempos atuais. Não foi um simples afastamento, porém, sim, uma política deliberada de intimidação, de decretação de culpa antes de se proceder a julgamento, de linchamento pela mídia, de uma campanha de desvalorização do setor público em geral e, em particular, da Universidade e dos servidores públicos.

Não vamos entrar na discussão dos procedimentos legais. Outros atores com mais conhecimento do campo jurídico já se pronunciaram acerca desse fato. No entanto, é preciso que se reflitam sobre o que essas ações representam. E, para isso, iremos nos ater ao que estudamos, conhecemos e construímos ao longo desses anos.

O Sistema UAB foi criado, há mais de 10 anos e, desde então, tem auxiliado às intuições públicas de ensino superior brasileiras, na sua missão maior de expandir a formação para todo país, propiciando condições de acesso a esse nível de ensino à população brasileira. Não existe bem maior do que o conhecimento, podemos dizer que ele é nossa maior expressão de liberdade. Ao longo de sua existência a UAB já formou mais de 180 mil profissionais. A contribuição da universidade pública e gratuita nesse processo é imensurável e inquestionável.

O atual clima que se instalou no país traz consequências diretas para além da política imediata, para além do jogo do poder e das disputas eleitorais. O clima de ódio, de julgamentos prévios, de
compreensões sobre ética e moral equivocadas, tem impacto na educação, na formação e, sobretudo, nas ações da população brasileira, que já sofre com o desmonte das políticas públicas e sociais.

É hora de dar um basta. Não aceitamos condenações a priori, conduções coercitivas de cidadãos, perseguições injustificadas. Que sociedade estamos construindo? Que valores estamos reafirmando com essas ações? Estamos a caminho de uma sociedade doente, não somente como metáfora, mas como uma avaliação objetiva dos fatos. O Reitor Luiz Carlos Cancellier foi uma vítima, “a ponta do iceberg” das consequências desse modelo intolerante, preconceituoso e agressivo de tratar os cidadãos brasileiros que não se moldam, que lutam e que defendem uma visão de sociedade realmente democrática.

Como bem frisou o Desembargador do Tribunal de Justiça de Santa Catarina e Professor da Universidade Federal desse Estado, na Sessão Solene Fúnebre do Conselho Universitário, Lélio Rosa
de Andrade, o Reitor Luiz Carlos Cancellier deu sua última lição antes de morrer, pois ” em momentos de histeria coletiva, só a tragédia pode chamar a atenção”.

Em razão disto, o Fórum Nacional de Coordenadores UAB manifesta sua indignação e repúdio a essa forma de tratar o cidadão brasileiro e ao projeto implícito de destruição da universidade pública. Por isto, solidariza-se com a Universidade Federal de Santa Catarina, em especial com os profissionais que atuam na UAB e também com todos os dirigentes públicos das instituições de ensino e de pesquisa ameaçadas, não só pelo corte nos seus orçamentos, mas por julgamentos prévios, decorrentes de notícias falsas, e por intimidações e agressões pessoais. É hora de um posicionamento firme e união de todos que acreditam na democracia real, na igualdade de direitos, no ensino e na ciência como formas de contribuir para uma sociedade mais justa e democrática.

A luta pela democracia não tem descanso e não se intimida!

Congressistas chegam à FURG para o primeiro dia de atividades do 14º Esud e 3º Ciesud

Centenas de professores, pesquisadores e acadêmicos interessados em conceber outras formas de pensar os processos educativos iniciaram as discussões do 14º Congresso Brasileiro de Ensino Superior a Distância (Esud) e o 3° Congresso Internacional de Educação Superior a Distância (Ciesud) na noite de terça-feira (17), no Centro Integrado de Desenvolvimento Costeiro e Oceânico (Cidec-Sul). Na palestra inagural dos eventos, o professor da Universidad del País Vasco (Espanha), Gorka Palazio, discorreu sobre as potencialidades de recursos tecnológicos para a Educação a Distância e as possíveis perspectivas para a área. O momento também foi de manifestação de solidariedade à Universidade Federal de São Catarina (UFSC) e de defesa da Educação Pública. Os eventos, organizados pela Universidade Federal do Rio Grande (FURG), estendem-se até 20 de outubro, com diversas atividades acadêmicas e culturais.

Na abertura dos eventos, o reitor em exercício da FURG, Danilo Giroldo, manifestou a preocupação institucional pelas políticas públicas em face dos desafios conjunturais do País e ressaltou a importância da Educação a Distância para o cumprimento da função social da Universidade: “É uma ferramenta [a Educação a Distância] poderosa que vem se demonstrando, cada vez mais, como um processo educativo fundamental para a interiorização e para a inovação no Ensino”. Na avaliação da secretária de Educação a Distância da FURG, o País passa por mudanças políticas, econômicas e sociais que se refletem diretamente na educação, o que demanda estratégias e ações coletivas que visem à defesa da Universidade Pública. “O tema do evento [Caminhos da autoria e criatividade na EAD] ilustra a preocupação em pensarmos as nossas propostas de forma inovadora, mostrando que a educação inovadora, criativa e de autoria é o caminho para o crescimento do País”, explica.

O prefeito de Rio Grande, também presente no cerimonial, agradeceu à Universidade pela sua preocupação na formação de professores. Esforço esse que, conforme citou, reflete-se diretamente nas melhorias no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) do município. “Esse crescimento na qualidade do Ensino Municipal é fruto da qualificação continuada dos nossos professores. É fruto da participação direta da nossa Universidade”, salienta. Também compuseram a mesa de autoridades a coordenadora geral do Esud/Ciesud, Marisa Musa, e a representante da Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica do Ministério da Educação (MEC), Maria das Graças Nery.

Potencialidades para EAD

O professor catedrático do curso de Jornalismo da Universidad del País Vasco, Gorka Palazio, apresentou diversos recursos tecnológicos e metodologias para a inovação nos processos Educativos. Um dos prognósticos traçados é o potencial revolucionário da tecnologia Blockchain, uma rede descentralizada que evitaria a presença de intermediários nas relações entre os indivíduos, como as instituições financeiras. A rede ponto a ponto (peer to peer) é estabelecida, assim, por protocolo de confiança: os dados compartilhados, seguros (criptografados), são validados pelos usuários.

Diversos recursos para e Educação poderão ser apropriados na Blockchain, como a disposição em rede de documentos acadêmicos, conteúdos programáticos dos cursos, hospedagem de audiovisuais, certificações e armazenamos de trabalhos finais de curso. Conforme Gorka, a tecnologia é comparável à invenção ao protocolo de navegação World Wide Web, em 1989 (a “versão gráfica” da Internet). “A revolução da tecnologia Blockchain vai entrar em todos os setores. Será uma mudança tremenda na Educação nos próximos anos”, anuncia. Para o professor, por se tratar de uma era de aprendizagem social, marcada pelas plataformas colaborativas, novas formas de conceber as modalidades de Ensino são necessárias.

(Os materiais didáticos e demais sugestões de aplicações de recursos educacionais estão disponíveis no webiste do autor: http://www.palazio.org/)

Carta à Comunidade Científica

Ao final da abertura do Esud/Ciesud, a secretária de Educação a Distância da FURG fez a leitura da manifestação de repúdio elaborada pelos representantes das Universidades Públicas que integram o Sistema Universidade Aberta do Brasil (UAB). A ação é um dos encaminhamentos do Fórum de Coordenadores UAB, realizado na segunda (16) e terça-feira (17) na FURG. A carta rechaça o tratamento aos servidores públicos da UFSC pelas autoridades policiais, processo que resultou no afastamento do reitor Luiz Carlos Cancellier e, posteriormente, ao seu suicídio, em 2 de outubro de 2017. “Não foi um simples afastamento, porém, sim, uma política deliberada de intimidação, de decretação de culpa antes de proceder a julgamento, de linchamento pela mídia, de uma campanha de desvalorização do setor em geral e, em particular, da Universidade e dos seus servidores públicos”, expressa o documento.

Fotos: Stefanie Herz